Rosácea

DERMATOLOGIA CLÍNICA

Rosácea

A rosácea é uma doença vascular, inflamatória e crônica que afeta, sobretudo, a face. Se caracteriza por deixar a pele vermelha, com muitos vasinhos de sangue e lesões que lembram espinha. Pode haver períodos de remissão e exacerbação associados a flushing (calor e vermelhidão).

 

A rosácea é mais comum em mulheres entre 35 e 65 anos, mas os piores quadros ocorrem no público masculino. Existem muitas formas clínicas e, de acordo com elas, é feito o tratamento.

 

Causas da rosácea

 

A causa ainda não está bem estabelecida, mas existem fatores hereditários e ambientais. Além disso, há alguns fatores predisponentes e estímulos, os chamados triggers, gatilhos que podem piorar a Rosácea. Por exemplo, álcool, exposição ao sol, temperaturas extremas, exercício físico, estresse, uso de corticoides e alimentos picantes e quentes.

 

Sintomas

 

Além da pele avermelhada, com vasinhos, lesões semelhantes a espinhas e o flushing na região centro facial, a rosácea pode provocar sintomas oculares, como olho seco e sensível ou inflamação nas bordas palpebrais. Existem diversas formas clínicas:

 

  • Eritemato teleangectásica: se caracteriza pela pele vermelha, sensível e com surtos de calor pela vasodilatação;
  • Pápulo pustuloso: vermelhidão, com vasinhos de sangue, pápulas (bolinhas) e pústulas (pontos com pus);
  • Fimatoso (rinofima): espessamento irregular da pele do nariz, que leva a um aumento e deformação do local. Pode ocorrer na região das maças do rosto, na fronte e no pavilhão auricular;
  • Ocular: pode acompanhar qualquer uma das outras formas clínicas ou vir sozinho.
    Uma manifestação pode ser mais proeminente do que a outra, mas isso varia de acordo com o indivíduo.

 

Tratamento da rosácea

 

A cura da Rosácea ainda não é conhecida, mas o tratamento visa a remissão do quadro clínico e manutenção, pois trata-se de uma doença crônica.

 

É importante, portanto, tentar identificar e retirar os fatores predisponentes que possam desencadear ou exacerbar a doença.

 

  • Utilizar filtro solar de amplo espectro;
  • Produtos tópicos como ácido azeláico, metronidazol, retinóides, imunomoduladores, ivermectina e peróxido de benzoila;
  • Bromonidina para controle do flushing;
  • Terapia oral: Tetraciclinas, Metronidazol, Isotretinoina;
  • Laser, Luz pulsada e LED.

 

Além disso, é recomendado ter cuidado com exercícios exagerados, exposição ao sol, uso de drogas vasodilatadoras, sabonetes agressivos compostos com álcool ou acetona, esfoliações e tratamentos agressivos de qualquer natureza. Visitar periodicamente o dermatologista é essencial.

Entre em Contato

Conosco


    Open chat
    Podemos te ajudar?